Seguro
Seguro de Habitação

Os seguros são em certas situações a única bolsa de ar de reserva, deve cuidar a informação detalhadamente para não correr o riscos. O profissionalismo do agente de seguros nunca deve ser descurado. Pergunte sem receios pois ele vai querer dexá-lo bem servido. Se não recorrer a um mediador em quem confie o seu processo e lhe possa fazer todas aquelas perguntas que o deixam em duvida interpretativa, ao efectuar um seguro leia atentamente e na integra o contrato que assinar. É nesse documento que estão lá descritas tudo o que necessita saber (em letras minúsculas mas impressas).

As Opções de Seguro de Condomínio

  • Seguro Colectivo – Abrange todas as fracções e partes comuns
  • Seguro de partes comuns – abrange apenas as partes comuns de um condomínio.

É mais fácil e vantajoso fazer o seguro na totalidade uma vez que em caso de sinistro é apenas uma seguradora a a tratar de tudo Perguntas básicas. Se tiver alguma dúvida que gostasse de colocá-la deixe-a em comentário. Obterá a resposta lo go que possível.

  • Qual a importância de um seguro de Habitação?

O seguro de incêndio da fracção/edifício é obrigatório, devendo-se fazer na modalidade de multiriscos uma vez que é mais abrangente e a diferença de preço é muito vantajosa. Quanto ao recheio da habitação é facultativo. As vantagens prendem-se com o se garantir o nosso património quanto a uma eventualidade que o venha a destruir ou danificar.

  • Com que valor de capital devo assegurar a minha casa?

Deve ser segura pelo capital resultante de: área coberta (m2) x o valor de reconstrução (m2) indicado pelo Instituto Nacional de Habitação para o Concelho onde esta situada a minha habitação, e solicitar que o mesmo seja actualizado automaticamente todos os anos. Existendo um credor hipotecário, o capital deverá ser igual ao valor do empréstimo. Recheio – Deve ser considerado o valor de substituição dos objectos existentes na habitação em novo

  • Se acontecer um acidente quais os passos a tomar?

Preencher a declaração amigável (sempre), pois é um elemento obrigatório para a regularização do sinistro e não é por a assinar que nos estamos a dar como culpados, é apenas um documento onde estão indicados os elementos das viaturas e condutores envolvidos no acidente e rapidamente envia-la para a nossa seguradora

  • Que aspectos devo ter em conta quando faço um seguro?

Depende do seguro, mas sempre ter confiança no mediador. De preferência ter um mediador nos seguros e não faze-lo directamente na seguradora. Nestes casos temos alguém a quem pedir responsabilidades se for caso disso. Alguém que nos vai acompanhar e ajudar sempre. O seguro não fica mais caro por isso, normalmente fica até mais barato.

  • O que posso contar quando faço um seguro obrigatório? Quais os seguros obrigatórios?

Depende do seguro. Seguros obrigatórios em Portugal são: incêndio para edifícios/fracções, automóvel , acidentes de trabalho (por conta de outrem ou trabalhador independente), caçador e armas de fogo, responsabilidade civil animal (cães)

  • Devo procurar o melhor preço em vigor no mercado, ou o preço é igual em todas as seguradoras? E como o posso fazer essa comparação?

O preço dos (todos) seguros varia de seguradora para seguradora. Pode-se fazer essa comparação consultando diversas seguradoras ou (mais fácil) consultar um agente de seguros (mediador) desde que este não trabalhe em exclusividade com uma seguradora. Tenha em mente que nem sempre o seguro mais barato é o melhor …

  • Podem recusar-me um Seguro?

Sim. Sendo a seguradora obrigada a emitir uma declaração de não aceitação do seguro, caso se trate de um seguro obrigatório.

  • O que devo fazer quando estiver envolvido num acidente? O que devo ter em conta para assegurar-me para um eventual recurso a tribunal?

Só se deverá recorrerá a tribunal em ultima instância e quando não aceite a decisão da seguradora, contudo antes disso dever-se-à ainda dialogar com a seguradora, e outras instâncias mediadoras a que se pode recorrer. Deve ter o cuidado de indentificar as testemunhas oculares (se possível) para que a elas possa recorrer

  • O que acontece se não tiver seguro?

E uma questão de policia (tribunal). O seguro é importante e estar de acordo com a lei é o que um cidadão deve contemplar. Por si e para com os outros. Lembre-se que em certas situações é a sua única bolsa de reserva.